Concurso Tim Lopes – 3ª Edição
Exploração sexual infantil na Bahia

 

Jornalistas denunciam a conivência de autoridades baianas com a exploração sexual infantil

  • Repórteres do jornal A Tarde percorreram mais de 9 mil quilômetros na Bahia para investigar falhas e impunidades na proteção de crianças e adolescentes vítimas da violência
  • Denúncias envolvem a realização de “leilões de virgens” com o conhecimento da polícia e de políticos

Conheça aqui os outros vencedores do Concurso Tim Lopes

A equipe liderada pelo jornalista Ricardo Mendes, do jornal A Tarde (BA), viajou por mais de 9 mil quilômetros entre diversas cidades da Bahia e investigou as falhas no sistema de proteção de crianças e adolescentes vítimas da exploração sexual. Descobriram que a conivência com a prática criminosa é uma constante entre aqueles que deveriam combatê-la. “Encontramos no caminho situações em que autoridades poderiam atuar na área, mas não o estavam fazendo. Delegadas que usam carro oficiais para almoçar, enquanto quase não há dinheiro para a gasolina no mês”, conta Mendes.

Essas e outras revelações estão no caderno especial com 12 páginas publicado neste último domingo (10/12) por A Tarde, resultado de um dos projetos vencedores da categoria “Mídia Impressa” do 3° Concurso Tim Lopes de Investigação Jornalística. As reportagens podem ser vistas clicando aqui.

A equipe que fez a investigação, além de Ricardo Mendes, contou com os repórteres Eder Santana, Jane Fernandes e Katherine Funke. Antes de saírem a campo, os jornalistas traçaram uma série de pré-pautas em que se buscava descobrir os resultados das denúncias feitas na Comissão Parlamentar Mista de Inquérito da Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Também pesquisaram sobre a estrutura do sistema judiciário e das polícias civil e militar para o atendimento a esses casos, além das relações perigosas entre a influência política e a impunidade.

“Trabalhamos de forma silenciosa, com muito cuidado, e utilizando todos os recursos jornalísticos de investigação disponíveis”, explica Mendes. Segundo o jornalista, as reportagens têm como objetivo instigar a população a denunciar os crimes de exploração, uma vez que o silêncio ainda é um componente muito forte a estimular a impunidade.

Leilão de virgens
Um ponto de destaque do trabalho dos jornalistas foi a investigação em duas cidades da região norte da Bahia, onde fazendeiros participam de leilões de jovens virgens e pagam por encontro com adolescentes de 15 anos de idade. Segundo apuraram os repórteres, os leilões acontecem em sítios e fazendas e com conhecimento da Polícia Militar da região e de políticos. Situação semelhante à história abordada recentemente no filme brasileiro “Anjos do Sol”, do diretor Rudi Lagemann, cujo roteiro foi livremente inspirado em vários artigos publicados na imprensa.

Além do caderno de 12 páginas e do site especial, os desdobramentos do tema continuarão sendo abordados em flashes diários na rádio do grupo A Tarde. “O diferencial dessa série é poder ampliar a publicação para além do jornal, veiculando também no rádio e nesse portal”, enfatiza Ricardo Mendes.

 

Patrocínio