14 de Fevereiro de 2017
Rádio pode promover direitos humanos e unir comunidades, diz UNESCO

Em mensagem para o Dia Mundial do Rádio, lembrado nesta segunda-feira (13), a diretora-geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), Irina Bokova, afirmou que esse meio de comunicação “é uma força para a dignidade e os direitos humanos”. Segundo a dirigente, em meio à revolução na forma como compartilhamos informação, o rádio permanece uma plataforma sólida para unir comunidades.

“A alfabetização midiática e informacional nunca foi tão essencial, para construir a confiança na informação e no conhecimento, em uma época em que as noções de ‘verdade’ são desafiadas”, alertou a chefe da UNESCO.

Para Bokova, é “por isso (que) o rádio pode oferecer um direcionamento para soluções inovadoras para problemas locais, e também continuar avançando nas áreas de direitos humanos, igualdade de gênero, diálogo e paz”.

“O rádio fornece uma voz para mulheres e homens de todas as partes. Ele escuta seus públicos e responde a suas necessidades”, disse a dirigente, que descreveu o meio de comunicação como “um poderoso catalisador de soluções para os desafios enfrentados pelas sociedades”.

“No caminho do trabalho, em nossas casas, escritórios e espaços abertos, em momentos de paz, de conflitos e emergências, o rádio continua a ser uma fonte essencial de informação e conhecimento, abrangendo diferentes gerações e culturas, inspirando-nos com a riqueza da diversidade humana e conectando-nos com o mundo”, acrescentou Bokova.

Em apelo por um compromisso renovado de audiências e comunicadores com o rádio, a diretora-geral elogiou políticas de participação do público que trazem os ouvintes para o centro das emissões radiofônicas.

“O rádio é importante para fazer avançar a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável”, lembrou Bokova. De acordo com a chefe da UNESCO, programas de rádio podem abordar temas como a mudança climática e as divisões da sociedade, promovendo debates inclusivos.

“O avanço nas liberdades fundamentais e a promoção do acesso público à informação são elementos essenciais para fortalecer a boa governança e o Estado de Direito, assim como para aprofundar a inclusão e o diálogo”, completou.

Fonte: ONU Brasil

 

Patrocínio
Petrobras
Publicações
Esta publicação, que integra atividades desenvolvidas pela Rede ANDI América Latina, apresenta uma visão ampla de 10 temas centrais para que a região avance na garantia, promoção e proteção dos direitos de crianças e adolescentes no campo da mídia.