02 de Janeiro de 2012
Projetos atendem a 9 mil crianças, adolescentes e famílias

Nos últimos três anos, a Fundação Criança atendeu, anualmente, em média, nove mil crianças, adolescentes e famílias. Em 2011, foram formalizadas duas parcerias significativas com a iniciativa privada para o lançamento de dois novos projetos, a República Jovem, que visa ajudar jovens que completaram 18 anos, não possuem vínculos familiares e comunitários e estavam nos serviços de acolhimento da cidade, e a Lanchonete Escola, realizado em parceria com a Secretaria de Educação, que permite a formação de adolescentes e jovens para a inclusão no mundo do trabalho com a qualificação profissional de atendentes de lanchonete.

Segundo o presidente da Fundação Criança, Ariel de Castro Alves, os serviços de acolhimento receberam atenção especial com supervisão e formação, o que vem repercutindo no retorno de crianças e adolescentes para suas famílias de origem.  Em 2011, 74 crianças e adolescentes foram atendidas nos serviços de acolhimento em abrigos e 235 no acolhimento inicial. O trabalho de abordagem de rua e enfrentamento ao trabalho infantil também foi intensificado, com 12 novos educadores sociais atuando diariamente nas ruas.

Projetos
No âmbito dos projetos de oportunidades e inclusão, a fundação atendeu 48 jovens pelo projeto Lanchonete Escola, 300 adolescentes pelo Protejo, em conjunto com a Secretaria de Segurança Urbana, nos últimos dois anos, 64 pelo Programa de Educação para o Trabalho, em parceria com o Senac, e mais recentemente 35 jovens pelo projeto República Jovem – que em novembro também iniciou o atendimento de moradia a três jovens acima de 18 anos, com histórico de abrigamento e sem vínculo familiar, além de oferecer qualificação profissional a outros 32 jovens que moram com a família. A fundação mantém ainda o projeto Contando História, que atendeu em 2011 mais de 290 adolescentes, atuando nas bibliotecas interativas das escolas municipais em parceria com a Secretaria Municipal de Educação.

Na execução das Medidas Socioeducativas de Meio Aberto (Liberdade Assistida - LA e Prestação de Serviços à Comunidade - PSC) foi aprimorado o trabalho com a realização de seminários de formação, capacitação da equipe de educadores e supervisão. Neste ano, a fundação teve um projeto aprovado pela Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, voltado para a empregabilidade e inclusão social de adolescentes inseridos no sistema socioeducativo em meio aberto. Também vem sendo construída parceria de atuação conjunta com a Fundação Casa, que inaugurou duas unidades na Cidade em 2011, para a preparação dos jovens ao retorno a sociedade e para cumprimento de Liberdade Assistida na Fundação Criança.

Por meio do Programa Integrado de Garantia de Direitos (PIGD), desenvolvido no Jardim Silvina, Jardim das Orquídeas, Santa Cruz e Parque São Bernardo, foram atendidas cerca de 200 crianças e adolescentes em cada um desses espaços.

Outra importante ação na área da proteção especial em 2011 foi o atendimento a crianças e adolescentes vítimas de violência doméstica e sexual, com mais de 400 casos acompanhados, em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde.

Cidade dos Direitos - Completaram-se dois anos da Cidade dos Direitos da Criança e do Adolescente, onde funciona a sede da Fundação Criança e o Centro de Referência dos Direitos da Criança e do Adolescente. Mais de 2 mil pessoas, entre crianças, adolescentes e adultos, visitaram e foram atendidos pela Cidade dos Direitos por meio de projetos como Tempo de Escola, da Secretaria de Educação, Labirinto Verde dos Direitos, em parceria com a Secretaria de Gestão Ambiental, além de eventos de formação e socioculturais, atividades esportivas com a Secretaria de Esporte e visitas monitoradas.

No espaço funciona também o Galpão Cultural, que atendeu mais de 300 pessoas por meio de atividades de dança, teatro, artes, cenografia e esportes, em parceria com a Associação de Judô Gulô e a Liga Futsal de São Bernardo.

A Fundação Criança, enquanto responsável pela secretaria executiva da Rede Criança Prioridade 1, viabilizou, em 2011, a realização de vários encontros, denominados Dialogando em Rede, e atividades de formação, com a participação de aproximadamente 600 pessoas, além da publicação de Guia Sobre Fundos da Criança e Revistas sobre Educação Fiscal e trabalho em Rede.

Em 2011, o programa Reencontro se destacou, principalmente com a 1ª Exposição Fotográfica Itinerante de Crianças e Adolescentes Desaparecidos, que teve início na Fundação Criança, passando também pela Assembleia Legislativa de São Paulo. Essa exposição terá continuidade no ano de 2012.

Patrocínio
Petrobras
Publicações
Publicação mapeia os principais riscos a que estão expostos crianças e adolescentes nas cidades-sede do Mundial 2014 e apresenta as iniciativas desenvolvidas pela sociedade brasileira para garantir os direitos fundamentais desses grupos etários.