20 de Julho de 2012
Jovens negras têm menos acesso a escola e a trabalho, mostra relatório da OIT

Uma em cada quatro jovens negras brasileiras entre 15 e 24 anos não estuda ou não trabalha – o que corresponde a 25,3% dessa faixa da população. Os dados são do relatório Perfil do Trabalho Decente no Brasil: um Olhar sobre as Unidades da Federação, da Organização Internacional do Trabalho (OIT), divulgados na quinta-feira (19). A taxa de mulheres negras que não trabalha ou não estuda é superior às das mulheres jovens em geral (23,1%), dos homens jovens (13,9%) e dos homens negros (18,8%).

O relatório revela que os estados com as maiores taxas de desemprego entre as jovens negras são Pernambuco (36,7%), Rio Grande do Norte (36,0%), Alagoas (34,9%), Pará (33,7%), e Roraima (33,2%).

Leia matéria na íntegra no site da Agência Brasil.

Patrocínio
Petrobras
Publicações
Publicação mapeia os principais riscos a que estão expostos crianças e adolescentes nas cidades-sede do Mundial 2014 e apresenta as iniciativas desenvolvidas pela sociedade brasileira para garantir os direitos fundamentais desses grupos etários.