16 de Outubro de 2015
Gravidez precoce e afazeres domésticos na infância contribuem para a desigualdade de gênero, diz ONU

Em vista do Dia Internacional da Menina, comemorado no dia 11 de outubro, a Comissão Econômica para a América Latina e Caribe (CEPAL) destacou que a gravidez precoce e os afazeres domésticos entre mulheres jovens na região são obstáculos para a autonomia e desenvolvimento das meninas. O tema da celebração deste ano foi “O poder da adolescente: visão para 2030”, baseado nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

As mulheres adolescentes têm se beneficiado dos avanços na área da educação na América Latina. Segundo dados da UNESCO, a taxa de matrícula na educação secundária entre mulheres aumentou mais de nove pontos na última década, atingindo 75,2% em 2012.

No entanto, 13% das meninas afirmam não comparecer às classes por afazeres domésticos e pela maternidade. A taxa de fecundidade adolescente na América Latina e Caribe é uma das mais altas do mundo, com 76 filhos para cada 1000 mulheres entre 15 e 19 anos.

De acordo com a secretária executiva da CEPAL, Alicia Bárcena, garantir a igualdade de condições para acessar educação de qualidade e de exercer seus direitos é fundamental para a inclusão social e para o desenvolvimento. “Sem igualdade de gênero, o desenvolvimento sustentável não é desenvolvimento e nem é sustentável.”, afirmou.

Fonte: ONU Brasil

Patrocínio
Petrobras
Publicações
Publicação mapeia os principais riscos a que estão expostos crianças e adolescentes nas cidades-sede do Mundial 2014 e apresenta as iniciativas desenvolvidas pela sociedade brasileira para garantir os direitos fundamentais desses grupos etários.