22 de Abril de 2016
Filme “O começo da vida” estreia nos cinemas no dia 05 de maio

O Começo da Vida é um filme que percorre os quatro cantos do mundo para mostrar a importância dos primeiros anos de vida na formação de cada pessoa. A diretora Estela Renner (Muito Além do Peso, Criança, a Alma do Negócio) mostra como os relacionamentos, nesta fase, são fundamentais para cada ser humano se desenvolver. “Os registros emocionais tanto para o bem quanto para o mal têm um peso muito maior neste período, é um momento de formação, de criação, de estrutura da pessoa.”, diz a diretora. O filme estreia nos cinemas do Brasil no dia 05 de maio de 2016, clique aqui para acessar o site oficial. 

Um dos maiores avanços da neurociência nos últimos anos foi a descoberta de que os bebês se desenvolvem não apenas com sua carga genética, mas a partir da combinação entre a genética e as relações com aqueles que os rodeiam. Com base nessa constatação, Estela entrevista especialistas no desenvolvimento infantil e visita famílias das mais diversas culturas, etnias e classes sociais, como a de Gisele Bündchen e de Phula, uma menina indiana que cuida sozinha dos irmãos em uma comunidade em meio a obras em construção.

A estrutura narrativa do filme apresenta o bebê não como uma tábula rasa, mas como um indivíduo competente, capaz de elaborar hipóteses para melhor entender o mundo. E revela seu desenvolvimento por meio de seus relacionamentos primordiais com sua mãe, seu pai, seus irmãos, seus avós, seus cuidadores, e ainda com a natureza, com suas brincadeiras e experimentações, e com as histórias que são contadas a ele.

Temas como licença maternidade, o papel do pai, criação conjunta, pobreza, direitos humanos, violência, drogas e abandono são pontuados no decorrer do longa, que se conclui provocando algumas reflexões, dentre elas: o mundo precisa dar condições para que pais possam ser pais.

“Meus filhos não ligam se eu sou importante, ou se ganho dinheiro. Eles só se importam se estou presente. E isso é um ótimo lembrete para a vida.”, conta um pai canadense. Ao mesmo tempo, em depoimento para o projeto, o vencedor do prêmio Nobel de Economia em 2000 James Heckman cita que uma recente pesquisa feita nos Estados Unidos detectou que a cada dólar investido em uma criança, sete dólares são ganhos no futuro através do adulto produtivo, e conclui: “cuidar bem dos nossos bebês é o maior investimento que se pode fazer na humanidade”.

Produzido pela Maria Farinha Filmes (Muito Além do Peso, Tarja Branca, Território do Brincar, Criança, a Alma do Negócio), e apresentado pelas ONGs Fundação Maria Cecília Souto Vidigal, Bernard Van Leer Foundation, Instituto Alana e UNICEF, o documentário foi filmado no Brasil, China, França, Itália, Argentina, Estados Unidos, Quênia, Índia e Canadá. E conta com o apoio da Rede Nacional Primeira Infância.

Fonte: Rede Nacional Primeira Infância (RNPI) com informações da Fundação Maria Cecília Souto Vidigal (FMCSV)

 

Patrocínio
Petrobras
Publicações
O guia procura orientar os profissionais de comunicação para uma cobertura qualificada e contextualizada do tema oferecendo referências às políticas públicas, esclarecendo conceitos e sugerindo fontes.