24 de Janeiro de 2012
Em memória do Holocausto, ONU pede proteção às crianças contra horrores da guerra

O alto escalão das Nações Unidas pediu, no dia 21 de janeiro, por proteção às crianças dos flagelos da guerra durante um evento em memória dos seis milhões de judeus e outras incontáveis crianças mortas durante a Segunda Guerra. “Um milhão e meio de crianças judias pereceram”, segundo o Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, em seu discurso na congregação da Sinagoga do Parque Leste, em Nova York.

“Nós nunca saberemos com o que esses meninos e meninas poderiam ter contribuído para o nosso mundo. E muitos sobreviventes ficaram demasiadamente abalados para narrar a sua história”. Ban acrescentou que “as crianças são vulneráveis ao pior da humanidade de forma única. Devemos mostrar a elas o melhor que esse mundo tem a oferecer”.

O Presidente da Assembleia Geral da ONU, Nassir Abdulaziz Al-Nasser, ressaltou a importância do Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto, comemorado em 27 de janeiro, de forma a que “o Holocausto será para sempre um alerta sobre os perigos do ódio, racismo, intolerância e preconceito”. Ele também sublinhou a necessidade crucial de estabelecer um diálogo entre várias religiões para garantir a paz e a estabilidade.

Na próxima semana, os membros das Nações Unidas relembrarão as crianças que morreram durante o Holocausto com uma semana de eventos culminando em uma cerimônia no Salão da Assembleia Geral em Nova York, na sexta-feira. Os eventos incluem a exibição de filmes, exposições e palestras, assim como o lançamento de uma página na Internet com testemunhos de sobreviventes do Holocausto.

(Fonte: ONU Brasil)

Patrocínio
Petrobras
Publicações
Publicação mapeia os principais riscos a que estão expostos crianças e adolescentes nas cidades-sede do Mundial 2014 e apresenta as iniciativas desenvolvidas pela sociedade brasileira para garantir os direitos fundamentais desses grupos etários.