24 de Julho de 2012
Defensores de cotas em universidades vão entregar manifesto a Sarney

O movimento social que milita a favor das cotas nas universidades e escolas técnicas federais para estudantes de escolas públicas querem o apoio do presidente do Senado, José Sarney, para garantir a votação do projeto de lei da Câmara (PLC 180/2008). Representantes das organizações da sociedade civil vão fazer o apelo em audiência marcada para o dia 7 de agosto. Segundo acordo firmado na última reunião de líderes, a matéria deve constar da pauta de votações do Plenário ainda em agosto.

Pelo projeto, pelo menos 50% das vagas por curso e turno devem ser reservadas para quem tenha estudado integralmente em escola pública. Além disso, para tornar obrigatório e uniformizar modelos de políticas de cotas já aplicados na maioria das universidades federais, o projeto também estabelece critérios complementares de renda familiar e étnico-raciais.

A cota mínima de 50% deve espelhar a participação de negros, pardos e indígenas na população do estado onde a instituição de ensino estiver localizada.  Para isso, será considerado o censo mais recente do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Pelo critério social, metade das vagas da cota deverá ser preenchida por estudantes cujas famílias tenham renda per capita igual ou inferior a um salário mínimo e meio – em valores atuais o equivalente a R$ 933.

Leia a íntegra da matéria no site da Agência Senado.

Sugestão de fonte:

Movimento dos Sem Universidade (MSU)

http://www.msu.org.br/

Senador José Sarney 

(61) 3303-3429/ 3303-3430

Patrocínio
Petrobras
Publicações
O guia procura orientar os profissionais de comunicação para uma cobertura qualificada e contextualizada do tema oferecendo referências às políticas públicas, esclarecendo conceitos e sugerindo fontes.