27 de Novembro de 2015
Coordenada por Maria do Rosário, Frente Parlamentar da Criança e do Adolescente é relançada na Câmara

O relançamento e ato de posse da Frente Parlamentar Mista de Promoção e Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente ocorreu na manhã dessa quinta-feira (26), no Salão Nobre da Câmara dos Deputados, em Brasília. No evento foram empossadas as coordenações nacionais, regionais e temáticas.

Para a deputada Maria do Rosário (PT-RS), coordenadora geral da Frente, o trabalho dos parlamentares busca mudanças culturais. “A Frente Parlamentar é formada por um grupo suprapartidário. Nosso desafio é realizar de fato uma mudança de cultura, pelo respeito e pela dignidade humana. Com relação ao trabalho que reinicia queremos atuar mais fortemente com as crianças para que elas cresçam percebendo melhor as atitudes de violência”, destacou a deputada.

Foram prestadas homenagens a ex-coordenadores da Frente em outras legislaturas como a ex-deputada Rita Camata e a ex-senadora Patrícia Saboya. Uma ciranda pelo empoderamento das meninas simbolizou a necessidade de mudança cultural em relação as meninas, visando combater a raiz de toda a violência contra às mulheres. Alunas de uma escola pública de Taguatinga Norte realizaram a atividade lúdica. A Secretaria de Políticas para Igualdade Racial (SEPPIR) em parceria com alunos da Centro de Ensino Médio 01 de São Sebastião, cidade satélite de Brasília, promoveram um ato teatral contra o racismo, intitulado a “Carne Negra”, desenvolvido pelas professoras Lygia Maia e Maria Del Pilar Tobar Acosta.

Na oportunidade, também foi lembrado o aniversário de 26 anos da Convenção Internacional dos Direitos da Criança da ONU. Participaram representantes da UNICEF, Childhood Brasil, e diversas outras entidades, que também se credenciaram para integrar a frente. Duas atividades culturais ocorreram no evento, realizado dentro da programação da campanha 16 dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres.

As deputadas Professora Marcivânia (PT-AP), Moema Gramacho (PT-BA), Margarida Salomão (PT-MG), Luizianne Lins (PT-CE), Erika Kokay (PT-DF) e Ana Perugini (PT-SP), assim como os deputados Leo de Brito (PT-AC), Chico D’Ângelo (PT-RJ), Luiz Couto (PT-PB), João Daniel (PT-SE), Paulão (PT-AL), Ságuas Moraes (PT-MT), Zé Carlos (PT-MA) e Hélder Salomão (PT-ES), coordenam a frente nos seus respectivos estados. As senadoras Fátima Bezerra (PT-RN) e Regina Souza (PT-PI) também são coordenadoras estaduais da frente parlamentar.

Histórico – A Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente do Congresso Nacional nasceu oficialmente em 1993. Desde então, vem construindo e consolidando uma agenda em favor das crianças e dos adolescentes no Parlamento. É um movimento suprapartidário de parlamentares, que conta com apoio de organizações governamentais, não-governamentais e organismos internacionais. Seja no nível municipal, estadual ou nacional, a construção vem sendo feita em conjunto com os movimentos sociais e com a sociedade civil, para que o diálogo seja realizado sempre da maneira mais democrática.

Ativismo – A campanha “16 dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres” busca conscientizar a população sobre os diferentes tipos de agressão contra o sexo feminino. Trata-se de uma mobilização anual, empreendida por diversos atores da sociedade civil e do poder público. A campanha também tem o objetivo de propor medidas de prevenção e combate à violência, além de ampliar os espaços de debate com a sociedade. Realizada em escala mundial de 25 de novembro, Dia Internacional da Não Violência contra a Mulher, a 10 de dezembro, data em que foi proclamada a Declaração Universal dos Direitos Humanos, a Campanha no Brasil se iniciou no dia 18 de novembro, com a Marcha Nacional das Mulheres Negras, e se encerra no dia 10 de dezembro, Dia Mundial dos Direitos Humanos.

Fonte: Assessoria Parlamentar do PT

 

Patrocínio
Petrobras
Publicações
O guia procura orientar os profissionais de comunicação para uma cobertura qualificada e contextualizada do tema oferecendo referências às políticas públicas, esclarecendo conceitos e sugerindo fontes.