23 de Outubro de 2013
PR: Burocracia atrasa obras em colégios

Veículo: 
Gazeta do Povo

O governo do Paraná precisou enxugar o plano de reformas em colégios estaduais no ano passado devido ao atraso na liberação de empréstimos do Banco Mundial, dentro do Projeto Multissetorial para o Desenvolvimento do Paraná. É o que aponta o parecer prévio das contas do governador Beto Richa (PSDB) feito pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE). De acordo com o relatório, das 188 escolas que esperavam ampliações e melhorias em 2012, somente dez passaram por obras e apenas 24 das 308 novas salas de aula prometidas foram construídas. A Secretaria de Estado de Educação justifica que, sem o financiamento internacional, precisou reformular as metas para execução com recursos próprios, o que tornou as obras menores e mais baratas até R$ 150 mil por escola. Segundo o TCE, 71 escolas deveriam ser reformadas dentro do projeto Desenvolvimento da Educação Básica, em 2012, mas nenhuma recebeu obras no período.

Patrocínio
Petrobras
Publicações
Este guia integra uma série de publicações editadas pela ANDI – Comunicação e Direitos ao longo da última década, com o objetivo de contribuir para o aprimoramento da cobertura jornalística.