29 de Outubro de 2014
Pobreza infantil

Veículo: 
Brasil Econômico

A crise econômica mundial de 2008 levou 2,6 milhões de crianças à situação de pobreza nos países mais prósperos do planeta. Os países do primeiro mundo que viram melhorar a situação de suas crianças foram os que invés tiram em programas de proteção social, segundo um relatório do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef). As crianças da Irlanda, da Letônia e da Grécia foram as mais atingidas. O número total de crianças pobres nos países desenvolvidos é hoje de 76,5 milhões. "Muitos países ricos sofreram um 'grande salto para trás' em termos de rendimento familiar, e o impacto sobre as crianças terá repercussões duradouras para elas e suas comunidades", disse Jeffrey 0'Malley, chefe de política e estratégia global do Unicef. Os níveis de pobreza infantil aumentaram em mais da metade dos 41 países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) e da União Europeia. Este aumento se explica por uma "deterioração constante da situação das famílias, sobretudo devido à perda de empregos" ou de cortes de benefícios sociais.

Patrocínio
Petrobras
Publicações
Publicação mapeia os principais riscos a que estão expostos crianças e adolescentes nas cidades-sede do Mundial 2014 e apresenta as iniciativas desenvolvidas pela sociedade brasileira para garantir os direitos fundamentais desses grupos etários.