02 de Agosto de 2012
PE: Indicadores sociais ainda são ruins

Veículo: 
Jornal do Commercio

Segundo levantamento da Ceplan Consultoria Econômica e Planejamento, os índices de saúde, educação e renda nas regiões Agreste Central e Setentrional, em Pernambuco, ainda estão distantes das realidades do Brasil e do próprio estado. A média de domicílios vivendo abaixo da linha de pobreza é de 48% e a taxa de analfabetismo chega a um quarto da população acima de 15 anos. “Houve avanços, mas os indicadores ainda se mantêm em patamares desafiadores”, observa o sócio-diretor da Ceplan, Ademir do Vale. Para a economista Tania Bacelar, a boa notícia é que os programas de transferência de renda contribuíram para reduzir as taxas de abandono nos ensinos fundamental e médio. No Agreste Central, a taxa de abandono no ensino médio caiu de 10,8% para 5,3%, seguida pelo Agreste Setentrional, com redução de 8,1% para 4%.

Patrocínio
Petrobras
Publicações
Este guia integra uma série de publicações editadas pela ANDI – Comunicação e Direitos ao longo da última década, com o objetivo de contribuir para o aprimoramento da cobertura jornalística.