11 de Setembro de 2015
Unicef alerta para aumento da crise de crianças refugiadas na Europa

Veículo: 
Agência Brasil

O Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, alertou que a crise de migrantes e refugiados na Europa irá aumentar se não forem feitos esforços para acabar com o conflito na Síria. Segundo a agência da ONU, é preciso resolver a situação humanitária das pessoas atingidas pela violência. A guerra no país deixou 16 milhões de sírios, quase a metade deles crianças, necessitando de ajuda e proteção, incluindo serviços básicos de saúde, educação e saneamento, além do fornecimento de água.

Dignidade

O diretor regional do Unicef para o Oriente Médio e norte da África, Peter Salama, disse que "os sírios gostariam de permanecer no país se pudessem se sentir seguros, viver em paz e ser tratados com dignidade". Salama afirmou que eles "arriscam suas vidas e de seus filhos na fuga para a Europa porque não têm outra opção e não conseguem ver nenhum futuro para eles ou para as crianças". O Unicef informou que 2 milhões de crianças estão fora das escolas na Síria e 5 milhões de pessoas vivem em cidades espalhadas por todo o país que sofrem com interrupções no abastecimento de água. A Organização Mundial da Saúde informou que mais de 50% dos hospitais públicos estão funcionando parcialmente ou estão fechados.

Apelo

O número de refugiados sírios nos países vizinhos já passou dos 4 milhões, metade deles crianças. Os sírios representam também o maior grupo de refugiados e migrantes que chegou à Europa este ano. A Turquia abriga 2 milhões de sírios, o Líbano mais de 1 milhão e a Jordânia 630 mil. O Unicef afirmou que o apelo humanitário de US$ 903 milhões para cobrir as operações no país neste ano conseguiu menos da metade do dinheiro até agora.

 

Patrocínio
Petrobras
Publicações
O guia procura orientar os profissionais de comunicação para uma cobertura qualificada e contextualizada do tema oferecendo referências às políticas públicas, esclarecendo conceitos e sugerindo fontes.