31 de Julho de 2020
Um terço das crianças do mundo está intoxicada por chumbo, diz Unicef

Veículo: 
UOL

Um terço das crianças do mundo, cerca de 800 milhões no total, estão intoxicadas por chumbo, uma neurotoxina que pode causar danos irreparáveis ao cérebro, de acordo com um relatório publicado ontem pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e a ONG Pure Earth.

O estudo afirma que uma em cada três crianças tem níveis de chumbo no sangue iguais ou superiores a 5 microgramas por decilitro, o nível em que é considerado necessário agir.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), níveis ainda mais baixos de chumbo podem ser ligados a menor inteligência, dificuldades comportamentais e problemas de aprendizagem em crianças.

Embora o problema seja mundial, as as áreas mais afetadas hoje são os países pobres em recursos. Quase metade dos 800 milhões de crianças com envenenamento por chumbo vive na região do sul da Ásia.

Intoxicação em larga escala

O estudo, o primeiro nesta escala, de acordo com os seus autores, conclui inequivocamente que as crianças de todo o mundo estão sendo intoxicada em uma escala massiva e anteriormente não reconhecida.

"O chumbo, que causa poucos sintomas no início, provoca uma destruição silenciosa na saúde e no desenvolvimento das crianças, com consequências potencialmente fatais", disse a diretora executiva do Unicef, Henrietta Fore, em comunicado.

"Saber a extensão da contaminação por chumbo e entendendo a destruição que ela causa na vida dos indivíduos e das comunidades deve inspirar ações urgentes para proteger as crianças de uma vez por todas", completou.

O relatório, intitulado "A verdade tóxica: a exposição das crianças à contaminação por chumbo prejudica o potencial de uma geração", foi verificado mediante um estudo aprovado para publicação na revista "Environmental Health Perspectives".

Graves consequências

O chumbo, um metal pesado amplamente utilizado desde os tempos antigos para uma variedade de aplicações, é uma poderosa neurotoxina que é particularmente prejudicial para crianças e especialmente para menores de 5 anos.

Nessa idade, quando o cérebro não está completamente desenvolvido, a substância pode causar deterioração neurológica, cognitiva e física para toda a vida.

Diversos estudos relacionaram a infância à exposição à saúde mental e a problemas de comportamento e ao aumento do crime e da violência.

Para crianças mais velhas e adultos, a exposição prolongada ao chumbo é pode aumentar o risco de problemas de saúde como complicações cardiovasculares e renais.

Fontes de intoxicação

O estudo aponta a reciclagem informal e pobre das baterias regulares de chumbo nos carros como um dos principais fatores que contribuem para a intoxicação das crianças que vivem em países de baixa e média renda, onde o número de veículos triplicou nos últimos 20 anos.

Esse aumento, juntamente com a falta de regulamentação e infraestrutura para reciclagem, significa que até 50% das baterias de chumbo-ácido são recicladas perigosamente na economia informal, relata o Unicef. Isso coloca em risco os trabalhadores, mas também as pessoas que vivem em áreas próximas, que estão expostas a vapores tóxicos.

Outras fontes de intoxicação incluem o chumbo na água proveniente do uso de tubos feitos a partir dele e de atividades como mineração, tintas e pigmentos à base de chumbo ou gasolina com chumbo, que diminuiu consideravelmente nas últimas décadas.

 

Patrocínio
Publicações
Publicação mapeia os principais riscos a que estão expostos crianças e adolescentes nas cidades-sede do Mundial 2014 e apresenta as iniciativas desenvolvidas pela sociedade brasileira para garantir os direitos fundamentais desses grupos etários.