08 de Fevereiro de 2013
STF nega recurso da avó do menino Sean Goldman

Veículo: 
A notícia foi publicada nos principais jornais do País

Três anos e um mês depois de Sean Goldman ter retornado aos Estados Unidos por decisão do ministro Gilmar Mendes, o Supremo Tribunal Federal (STF) apreciou ontem recursos apresentados pela avó materna do menino, a brasileira Silvana Bianchi, para que ele fosse ouvido no processo sobre sua guarda. Os ministros negaram o pedido. Sean vive desde o fim de 2009 com o pai biológico, o norte-americano David Goldman. O caso Sean ganhou repercussão em 2009. Ele nasceu nos Estados Unidos, mas veio para o Brasil em 2004 com a mãe brasileira, Bruna Bianchi, que decidiu permanecer no País. Mas ela morreu em 2008, durante o parto da segunda filha. Depois da morte de Bruna, o padrasto passou a ter a guarda provisória. Em 2009, porém, a Justiça Federal determinou que Sean fosse entregue ao pai biológico nos EUA.

Tags:

Patrocínio
Petrobras
Publicações
Este guia integra uma série de publicações editadas pela ANDI – Comunicação e Direitos ao longo da última década, com o objetivo de contribuir para o aprimoramento da cobertura jornalística.