10 de Maio de 2013
SP: ´Bolsa anticrack´ não beneficia crianças e adolescentes

Veículo: 
Diário do Nordeste

O programa do governo de São Paulo, batizado de Cartão Recomeço, não vai beneficiar crianças e adolescentes. O governador Geraldo Alckmin (PSDB) divulgou a informação ontem (9), durante o lançamento do programa que ficou conhecido como "bolsa anticrack". De acordo com o governo, só serão atendidos adultos, pois não há entidades específicas para cuidar de adolescentes dependentes de crack, que devem ficar separados dos adultos. O projeto prevê que as entidades que vão tratar os dependentes (particulares e não governamentais) recebam R$ 1.350 mensais por paciente. A expectativa inicial é que três mil pessoas sejam atendidas a partir de julho. O controle para verificar se o tratamento está sendo realizado será feito por um cartão magnético, similar a um cartão bancário, que ficará com a família do usuário. O objetivo é ampliar a rede de atendimento aos dependentes que já passaram por um período de desintoxicação em hospitais ou clínicas públicas e reduzir o índice de reincidência.

Patrocínio
Publicações
Publicação mapeia os principais riscos a que estão expostos crianças e adolescentes nas cidades-sede do Mundial 2014 e apresenta as iniciativas desenvolvidas pela sociedade brasileira para garantir os direitos fundamentais desses grupos etários.