16 de Dezembro de 2013
SP adota cota social para matrícula em creche

Veículo: 
A notícia foi publicada nos principais jornais do País

A Prefeitura de São Paulo (SP) adotará um sistema de cota social para matrículas em creches. A cada dez matrículas realizadas, duas serão para crianças de família de extrema pobreza - cadastradas no Bolsa-Família. A nova regra valerá para 2014. Um decreto com a medida foi publicado no sábado (14) no Diário Oficial do município. A partir desta segunda-feira (16), quando as famílias começam a ser notificadas para confirmar a matrícula em toda a rede de educação infantil, o critério de reserva de 20% para quem estiver em situação vulnerável já será usado. Hoje, 4,7 mil crianças (5%) da fila por creche estão nesse perfil de vulnerabilidade. São crianças de famílias com renda per capita de até R$ 70, constantes no Cadastro Único (CadÚnico), feito pelo governo federal. Das 213,8 mil crianças matriculadas atualmente nas creches municipais, 4,6 mil já são do perfil de extrema pobreza. Segundo o secretário municipal de Educação, Cesar Callegari, o critério do Bolsa-Família é o mais seguro.

Patrocínio
Publicações
O guia procura orientar os profissionais de comunicação para uma cobertura qualificada e contextualizada do tema oferecendo referências às políticas públicas, esclarecendo conceitos e sugerindo fontes.