23 de Fevereiro de 2018
Repetência gera expectativa acadêmica bem mais baixa

Veículo: 
Nova Escola

Alunos de baixo desempenho repetiram mais vezes e têm menor expectativa acadêmica, de acordo com o estudo “Um Panorama sobre Resolução Colaborativa de Problemas no Brasil", divulgado pelo Iede (Interdisciplinaridade e Evidências no Debate Educacional). Quanto mais baixo o desempenho do aluno, maior foi o percentual dos que repetiram pelo menos um ano no ensino fundamental ou médio.

O estudo considera as habilidades dos alunos em resolver atividades que exijam resolução de problemas e colaboração. Entre os alunos do nível 1 (baixa complexidade e colaboração limitada), 76,7% nunca repetiram de ano. No nível 2 (contribuição para o esforço coletivo de um problema de média complexibilidade), esse número ficou em 90,4%. Entre os alunos que estão nos níveis 3 (capazes de completar tarefas complexas de resolução de problemas) ou 4 (que envolvem alta complexidade de colaboração e resolução), 94,8% nunca repetiram.

Quando analisa os alunos que ficam abaixo do chamado nível 1, ou seja, esse número cai para 56,5%. Nesse universo, 14,6% disseram já ter repetido duas ou mais vezes o Ensino Fundamental 1. E 36,6% repetiram uma vez essa etapa escolar.

Entre os alunos que estão nos níveis 3 ou 4, ninguém repetiu duas ou mais vezes o fundamental I; e somente 0,60% repetiu uma vez.

Questionados sobre sua expectativa acadêmica, a análise apontou que aqueles com baixo desempenho, que já repetiram de ano, esperam bem menos da escola.

Entre os que estão no nível abaixo de 1, 77,5% não esperam chegar ao ensino superior. Do total nesse grupo, 10,7% dizem que esperam completar somente o ensino fundamental; 64,1% o ensino médio ou ensino médio técnico; e 2,7% fazer um curso técnico ou de curta duração após o ensino médio.

As conclusões estão no estudo “Um Panorama sobre Resolução Colaborativa de Problemas no Brasil”, do Portal Iede  que usou dados do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa, na sigla em inglês) 2015, da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

 

Patrocínio
Petrobras
Publicações
Publicação mapeia os principais riscos a que estão expostos crianças e adolescentes nas cidades-sede do Mundial 2014 e apresenta as iniciativas desenvolvidas pela sociedade brasileira para garantir os direitos fundamentais desses grupos etários.