03 de Setembro de 2013
Rede pública perdeu 13 mil leitos desde 2010

Veículo: 
A notícia foi publicada nos principais jornais do País

A rede pública de saúde perdeu quase 13 mil leitos entre janeiro de 2010 e julho deste ano, aponta levantamento feito pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), com dados do Ministério da Saúde. Enquanto a maioria das capitais apresentou alta, a redução teve mais impacto em regiões metropolitanas ou no interior dos estados – para onde serão deslocados os profissionais do Mais Médicos. Segundo o estudo, 14 capitais conseguiram elevar as taxas, como Aracaju (SE) e Cuiabá (MS). Os dados, do Cadastro Nacional de Estabelecimentos em Saúde (CNES), incluem leitos de internação (ambulatoriais) e complementares (UTI). As especialidades mais atingidas com o corte foram psiquiatria (com perda de 7.449 leitos), pediatria (5.992), obstetrícia (3.431) e cirurgia geral (340). Os estados do Sudeste e Nordeste foram os que mais sofreram redução. No Rio de Janeiro, por exemplo, 4.621 leitos foram desativados desde janeiro de 2010. Minas Gerais perdeu 1.443 leitos e São Paulo, 1.315. No Maranhão, o corte chegou a 1.181 leitos.

Patrocínio
Publicações
O guia procura orientar os profissionais de comunicação para uma cobertura qualificada e contextualizada do tema oferecendo referências às políticas públicas, esclarecendo conceitos e sugerindo fontes.