21 de Setembro de 2015
Pré-natal pode identificar e prevenir doenças na mãe e no bebê

Veículo: 
Diário de Pernambuco

Quarenta e cinco por cento dos óbitos entre as crianças menores de cinco anos ocorrem nos primeiros 28 dias de vida do bebê. Os números da Organização Mundial da Saúde (OMS) mostram que muitos casos estão ligados à falta de acompanhamento na gestação ou o pré-natal, como é conhecido. O acompanhamento médico possibilita verificar a evolução da gestante e do feto, enquanto a futura mãe recebe orientações sobre aleitamento, trabalho de parto, exercícios e alimentação. Adriana Maciel, ginecologista e obstetra do Hapvida Saúde, acrescenta que o grande objetivo é afastar os riscos e preservar a vida de mãe e filho: "Algumas doenças são identificadas nesses atendimentos e o primeiro trimestre é crucial", ressalta a especialista. Infecções, anemia, hipertensão, diabetes gestacional, disfunções e até doenças sexualmente transmissíveis são detectadas nos exames pré-natais. Em casos mais graves, se necessário, o feto pode ser até submetido a procedimentos cirúrgicos e transfusões sanguíneas, ainda na vida intrauterina. "Fazemos de tudo para salvá-lo e esse conhecimento precoce é o que garante a diminuição da mortalidade infantil", acrescenta Adriana. Dentro do projeto de Medicina Preventiva (HapPrev), o Programa Gerando une atividades educativas e terapêuticas para as gestantes, além de disponibilizar uma central telefônica, um canal de comunicação entre as mães e profissionais especializados da área. O atendimento está disponível nas unidades de Fortaleza, Recife, Salvador, Belém, Manaus, Natal e Aracaju. Para os clientes de Pernambuco o agendamento pode ser feito através do telefone 4002-2870 ou pelo site www.hapvida.com.  

 

Patrocínio
Petrobras
Publicações
Publicação mapeia os principais riscos a que estão expostos crianças e adolescentes nas cidades-sede do Mundial 2014 e apresenta as iniciativas desenvolvidas pela sociedade brasileira para garantir os direitos fundamentais desses grupos etários.