11 de Janeiro de 2012
Pela primeira vez, MEC mostra correção a candidato do Enem

Veículo: 
A notícia foi publicada nos principais jornais do País

O primeiro estudante a conseguir na Justiça o acesso à sua prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) recebeu, ontem (10), do Ministério da Educação (MEC) um e-mail com a correção da redação. O documento mostra que houve discordância entre os corretores que avaliaram o texto de Michael Cerqueira de Oliveira, de 17 anos. A princípio, a redação havia sido anulada. Depois da ação judicial, a nota passou a ser de 880 pontos, sendo que o máximo previsto é mil. Segundo o MEC, a disparidade entre as notas pode ter sido causada por falhas na digitalização da prova, que teriam dificultado a leitura do documento. O caso de Michael abriu precedentes. De acordo com o MEC, outros 71 alunos já conseguiram na Justiça o acesso às suas redações e 27 também obtiveram direito a uma nova avaliação, mas suas notas foram mantidas.

Direito estendido - O Ministério Público do Ceará pediu à Justiça Federal que o direito de ver a redação do Enem e de pedir a revisão da nota seja estendido a candidatos de todo o País. Quem realizou o pedido foi o procurador da República Oscar Costa Filho, o mesmo que pediu a anulação do exame no ano passado. O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), responsável para prova, tem cinco dias para se posicionar sobre a questão.

Patrocínio
Petrobras
Publicações
Este guia integra uma série de publicações editadas pela ANDI – Comunicação e Direitos ao longo da última década, com o objetivo de contribuir para o aprimoramento da cobertura jornalística.