23 de Julho de 2013
Papa diz que 'juventude está em crise' e corre o risco de 'nunca trabalhar'

Veículo: 
O Estado de S. Paulo

Em sua primeira viagem internacional, quando muitos esperavam a mensagem "para o futuro", o papa Francisco voltou a deixar claro ontem (22) suas preocupações sociais e atuais. Ele destacou que "a juventude está em crise" e cabe aos políticos abrir espaços e acabar com o isolamento em que vivem. Antes mesmo de desembarcar, ainda no avião, fez um ataque direto às receitas dos governos para lidar com a crise internacional. E alertou para o risco de se criar uma geração "que nunca trabalhou". Já a presidente Dilma Rousseff, em seu discurso, preferiu ligar a falta de ocupações à crise mundial. E propôs "uma aliança de solidariedade" em torno das ações de erradicação da fome e da miséria. Posteriormente, o pontífice relatou ter gostado desse discurso. Ele afirmou que chega ao País em um "momento oportuno", sinalizou estar ao lado dos que protestam nas ruas, mas deixou claro que não veio para desafiar quer um "diálogo de amigos". Após a saída do papa do Palácio Guanabara, os políticos voltaram a ser alvo de protestos, com atos de violência, feridos e prisões no centro.

Patrocínio
Publicações
Este guia integra uma série de publicações editadas pela ANDI – Comunicação e Direitos ao longo da última década, com o objetivo de contribuir para o aprimoramento da cobertura jornalística.