09 de Agosto de 2013
PA: Meninos são maioria em abrigos do estado

Veículo: 
Diário do Pará

O Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) inspecionou, entre março de 2012 e março de 2013, 2.247 entidades de acolhimento em todo País, as chamadas casas-lares, e 123 grupos de acolhimento familiar, que agregam famílias voluntárias ou que recebem subsídios para receber pessoas na faixa de 0 a 18 anos, por um tempo determinado. Esse total corresponde, segundo o CNMP, a 86,1% do total no País. A maior parte das crianças paraenses que estão abrigadas são meninos. Na região Norte, as principais causas de abandono são por deficiências mental, sensorial ou física. Nos abrigos as adolescentes grávidas ou com filhos também aparecem em grande número, assim como os dependentes químicos. A região reúne o maior percentual de pais ou parentes que procuram abrigos e casas lares para visitar meninos e meninas. A região destaca-se positivamente também com o maior percentual de permanência no acolhimento por até seis meses – 53% em abrigos e 54% em casas-lares.

Patrocínio
Petrobras
Publicações
Publicação mapeia os principais riscos a que estão expostos crianças e adolescentes nas cidades-sede do Mundial 2014 e apresenta as iniciativas desenvolvidas pela sociedade brasileira para garantir os direitos fundamentais desses grupos etários.