06 de Maio de 2014
ONU: venda de adolescentes sequestradas na Nigéria seria crime contra a humanidade

Veículo: 
A notícia foi publicada nos principais jornais do País

O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos condenou nesta terça-feira (6) a ameaça do grupo nigeriano islamita Boko Haram de vender como escravas mais de 200 estudantes adolescentes sequestradas, o que pode constituir um crime contra a humanidade. "Estamos muito preocupados com as declarações indignas divulgadas em um vídeo e atribuídas ao líder do Boko Haram na Nigéria, que descaradamente afirma que venderá 'no mercado' as estudantes sequestradas e que vai 'casá-las', referindo-se a elas como 'escravas'", afirmou Rupert Colville, porta-voz da Alta Comissária de Direitos Humanos da ONU, Navi Pillay. O grupo islamita sequestrou 276 adolescentes estudantes em uma escola de Chibok (nordeste) há três semanas. No total, 53 conseguiram escapar e 223 permanecem em cativeiro.

"Condenamos o violento sequestro destas jovens", disse Colville. "Advertimos os autores deste ato de que a legislação internacional proíbe absolutamente a escravidão, sexual ou não. Estes atos podem constituir, sob certas circunstâncias, um crime contra a humanidade. As adolescentes devem ser imediatamente libertadas e devolvidas a suas famílias", completou.

Patrocínio
Petrobras
Publicações
Este guia integra uma série de publicações editadas pela ANDI – Comunicação e Direitos ao longo da última década, com o objetivo de contribuir para o aprimoramento da cobertura jornalística.