20 de Dezembro de 2013
MG: Mulheres estão tendo filhos mais tarde e gravidez na adolescência diminui

Veículo: 
Correio de Uberlândia OnLine

As brasileiras estão se tornando mães mais tarde e o fenômeno da gravidez na adolescência está diminuindo no País. Os dados fazem parte do Levantamento Estatísticas do Registro Civil, divulgado nesta sexta-feira (20) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Para o sociólogo Claudio Crespo, coordenador de População e Indicadores Sociais do instituto, o comportamento está ligado à inserção da mulher no mercado de trabalho e ao maior acesso ao estudo nos últimos anos. De acordo com o IBGE, o grupo de mães em idade mais avançada também aumenta no País. As mulheres que se tornaram mães entre 30 e 34 somavam 14,4% em 2002. Dez anos depois, em 2012, o grupo representava 19%. Em um recorte regional, os dados revelam que a gravidez tardia é ainda mais frequente no Sudeste (21,4%) e no Sul do País (20,7%). Na outra ponta, o IBGE detectou que diminui o número de adolescentes grávidas entre 15 e 19 anos. O levantamento do instituto mostra que a gravidez entre os 15 e 19 anos caiu no Brasil de 20,4% do total, em 2002, para 17,7% em 2012.

Patrocínio
Petrobras
Publicações
O guia procura orientar os profissionais de comunicação para uma cobertura qualificada e contextualizada do tema oferecendo referências às políticas públicas, esclarecendo conceitos e sugerindo fontes.