09 de Outubro de 2013
MG: Em sétimo no ranking de meninos e meninas com tarefas domésticas

Veículo: 
Estado de Minas

O número de crianças que trabalham em todo o mundo caiu um terço desde 2000 - de 246 milhões para 168 milhões em 2012 -, conforme relatório da Organização Internacional do Trabalho (OIT). No entanto, a diminuição não é suficiente para eliminar as piores formas de trabalho infantil até 2016, conforme a meta pactuada pela comunidade internacional por meio da ação da OIT. Em Minas Gerais, os resultados também apresentaram queda, mas, assim como em outras regiões, ainda exigem uma série de esforços para que o objetivo seja cumprido. Comparando os dados dos Censos de 2000 e de 2010, divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Minas passou de sétimo para 14º lugar, entre os estados brasileiros, no número de crianças ocupadas na faixa etária de dez a 17 anos. De acordo com a subsecretária de Assistência Social da pasta de Desenvolvimento Social, Maria Juanita Godinho Pimenta, em 2000, eram pouco mais de 443 mil crianças e adolescentes trabalhando, contra 349 mil em 2010. Entretanto, no último Censo, o estado ocupava o 7º lugar no ranking do trabalho infantil doméstico.

Patrocínio
Petrobras
Publicações
Este guia integra uma série de publicações editadas pela ANDI – Comunicação e Direitos ao longo da última década, com o objetivo de contribuir para o aprimoramento da cobertura jornalística.