18 de Novembro de 2013
Médicos sem Fronteiras alertam para vulnerabilidade das crianças nas Filipinas

Veículo: 
DCI OnLine

A organização não-governamental Médicos sem Fronteiras (MSF) alertou para a vulnerabilidade das crianças afetadas pelo tufão Haiyan nas Filipinas e para um cenário de uma eventual propagação de doenças como cólera ou o tétano. Em comunicado, a ONG diz ter identificado os primeiros casos de tétano em Guiuan, na Ilha de Samar, a primeira a ser golpeada pelo tufão Haiyan e uma das últimas a receber assistência humanitária. Segundo o mais recente balanço oficial, o tufão Haiyan, um dos mais poderosos que atingiu as Filipinas há uma semana, matou 3.621 pessoas. "Antecipamos um aumento significativo de complicações respiratórias e de diarreia entre a população infantil", disse o presidente da MSF na Espanha, José Antonio Bastos, alertando para a existência de um número expressivo de feridos, com diferentes graus de gravidade, com "potencial enorme" de piorar, caso não recebam tratamento. Ele também advertiu para o risco de infecções epidêmicas - como a cólera e, em particular, a leptospirose, provocada por uma bactéria transmitida pela urina e fezes de ratos na água em contacto com as pessoas.

Patrocínio
Petrobras
Publicações
Publicação mapeia os principais riscos a que estão expostos crianças e adolescentes nas cidades-sede do Mundial 2014 e apresenta as iniciativas desenvolvidas pela sociedade brasileira para garantir os direitos fundamentais desses grupos etários.