09 de Janeiro de 2012
Mais de duas mil crianças e mulheres teriam sido assassinadas em conflitos no Sudão do Sul

Veículo: 
A notícia foi publicada nos principais jornais do País

Mais de três mil pessoas foram mortas no Sudão do Sul nos massacres da semana passada, em meio à violência étnica que forçou milhares de habitantes a fugirem. As informações foram anunciadas por Joshua Konyi, comissário do condado de Pibor, no Estado de Jonglei. "Ocorreram assassinatos em massa, um massacre. Estamos contando os corpos. Calculamos até agora que 2.182 mulheres e crianças foram mortas e 959 homens morreram", afirmou. As Nações Unidas e os oficiais do Exército do Sudão do Sul ainda não confirmaram o número de mortos. Se confirmadas, as mortes seriam a pior explosão de violência étnica e tribal já vista na nova nação, que se separou do Sudão em julho de 2011.

Patrocínio
Petrobras
Publicações
Publicação mapeia os principais riscos a que estão expostos crianças e adolescentes nas cidades-sede do Mundial 2014 e apresenta as iniciativas desenvolvidas pela sociedade brasileira para garantir os direitos fundamentais desses grupos etários.