21 de Fevereiro de 2017
Mais de 700 crianças e adolescentes trabalham em Araguari, diz Prefeitura

Veículo: 
Globo.com

Agricultores de Minas Gerais passam pelo período de colheita, época em que segundo o Ministério do Trabalho aumenta a incidência de trabalho infantil. De acordo com a Prefeitura de Araguari, cerca de 750 crianças e adolescentes que moram na cidade e tem de cinco a 13 anos trabalham para ajudar no sustento familiar.

A secretária municipal de Trabalho e Ação Social, Eunice Mendes, disse que nos últimos seis anos o número de crianças que trabalham no município aumentou, mas não informou quanto. Para atender este público, Mendes comentou que reuniões para definir ações preventivas e a erradicação do trabalho infantil foram realizadas com educadoras e coordenadoras do Centro de Desenvolvimento da Criança (Cedec) e dos Centros Públicos de Convivência da Criança e Adolescente dos distritos de Piracaíba e Amanhece.

"Algumas ficam expostas diariamente ao sol, na lida com a terra, correm riscos de afogamento no trabalho da pesca, riscos de atropelamento em atividades nos semáforos, além do risco de se envolverem com a marginalidade e outras atividades de exploração infantil", destacou.

Na cidade, cerca de 200 crianças e adolescentes são atendidas no Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (Peti). Nem todas foram vítimas do trabalho infantil, mas estão em situação de vulnerabilidade.

Eunice explicou que durante o ano serão desenvolvidas atividades e oficinas nos centros de convivência. "Iniciaremos o ano letivo com essas oficinas, que incluem canto, esportes olímpicos e outros, que serão ministradas pelas professoras. O objetivo é retirar essas crianças de até 14 anos do trabalho, oferecendo educação e lazer", finalizou.

Fiscalização
De acordo com o gerente regional do Ministério do Trabalho, Juracy Reis, cinco auditores fiscais atendem 26 municípios e que a demanda é grande para poucos profissionais, o que impossibilita uma fiscalização eficaz.

"Não temos gente para fiscalizar. Por isso as prefeituras fazem esses programas de prevenção ao trabalho infantil. Não tem auditor fiscal para fiscalizar. Só fiscalizamos quando tem denúncia, quanto tem uma ação específica. Não temos condições de fazer um trabalho sozinhos, o Ministério do Trabalho ataca irregularidades mais graves", explicou.

O Ministério Público orientou ainda que o trabalho é destinado a adultos e que o uso indevido ou ilegal do trabalho infanto juvenil é proibido.

 

Patrocínio
Petrobras
Publicações
O guia procura orientar os profissionais de comunicação para uma cobertura qualificada e contextualizada do tema oferecendo referências às políticas públicas, esclarecendo conceitos e sugerindo fontes.