02 de Janeiro de 2012
Lista suja do trabalho escravo é atualizada e aponta agora 294 nomes de empregadores

Veículo: 
Jornal Pequeno

A lista suja do trabalho escravo, cadastro de empregadores flagrados na exploração de trabalhadores em condições análogas à escravidão, recebeu 52 novos registros de empregadores infratores na atualização feita esta semana. Agora, a lista reúne um total de 294 nomes, o maior número já registrado. Alguns dos principais grupos usineiros do País, madeireiras, empresários e até uma empreiteira envolvida na construção da hidrelétrica de Jirau são infratores autuados. A lista inclui ainda médicos, políticos, famílias e casos de exploração de trabalho infantil e trabalho escravo urbano. Após serem flagrados explorando mão-de-obra escrava, todas as pessoas e empresas tiveram chance de defesa em processos administrativos. A inclusão na lista limita o acesso a crédito em instituições públicas e privadas. 

Patrocínio
Publicações
Este guia integra uma série de publicações editadas pela ANDI – Comunicação e Direitos ao longo da última década, com o objetivo de contribuir para o aprimoramento da cobertura jornalística.