04 de Novembro de 2015
Ideia de professora inclui criança com paralisia em aulas de Educação Física

Veículo: 
Globo.com

Querendo ver o aluno Pedro Ian, de 7 anos, bem inserido nas aulas de educação física, uma professora de Macaé (RJ) teve a ideia de criar um brinquedo adaptado para que o aluno, com paralisia nas duas pernas, pudesse interagir com as outras crianças de uma forma diferente. Após pesquisa na internet, Joelma Sousa viu uma solução e logo procurou a ajuda do marceneiro Luis César da Silva. Em 23 anos de profissão, desenvolver dois carrinhos de rolimã, sendo um deles especialmente para Pedro Ian, foi uma missão de amor. "Minha ideia era promover a interação deles no mês da criança e Seu Luis abraçou na hora. Para não gerar ciúmes entre os colegas, ele fez dois carrinhos para alunos aqui do colégio Instituto Nossa Senhora da Glória. Um tradicional, com a direção no pé, e o outro adaptado com volante para que o Pedro pudesse dirigir", contou a professora de educação física, também chamada de Jô. Cinco dias depois, ele entregou os carrinhos. Mas a madeira não foi a única matéria prima. O carinho, cuidado, atenção e dedicação estiveram presente do início ao fim do processo. A recompensa veio na última quarta-feira (28), quando o marceneiro viu os alunos brincando, se divertindo e empurrando o carrinho com Pedro Ian. "Fiquei muito feliz com o que vi no dia da entrega. O Pedro brincou muito e todos os colegas dele faziam fila para poder empurrá-lo. É uma recompensa muito grande, vale mais do que qualquer dinheiro. Desde o momento que recebi o projeto até o dia da entrega trabalhei muito, pensando em cada detalhe de como poder ajudá-lo. Fiquei muito feliz", comentou o marceneiro. A mãe do Pedro, Lindrani Santos, acompanhou todo o processo de criação do carrinho adaptado. Desde a retirada das medidas do cockpit (lugar onde o piloto senta) até a entrega. "Acompanhei toda a criação do carrinho que ficou muito bom. Seria melhor se ele pudesse andar sozinho, ele me falou, porque se acha independente de mais. Mas fiquei muito feliz com a integração com os outros colegas de sala. Ele falou ainda que é muito criança para ter carteira de motorista (risos)", comentou Lindrani.
Quanto a personalidade de Pedro, a professora Jô completa. "Ele chegou no início desse ano e logo interagiu com todo mundo. Ele não dá tempo para que as pessoas tenham curiosidade. É muito dinâmico, participa de tudo, é independente, brinca. Ele é muito querido pelos colegas que tem muito ciúme dele". O filho do marceneiro, Ricardo, de 5 anos, também ficou com ciúme ao ver o carrinho na foto. Luis, agora, terá que dar conta de uma nova encomenda. "Ele me disse 'poxa pai, para o Pedro você fez e para mim não'. Já estou providenciando o material para construir um para ele também", confidenciou entre gargalhadas.

 

Patrocínio
Petrobras
Publicações
Publicação mapeia os principais riscos a que estão expostos crianças e adolescentes nas cidades-sede do Mundial 2014 e apresenta as iniciativas desenvolvidas pela sociedade brasileira para garantir os direitos fundamentais desses grupos etários.