12 de Janeiro de 2012
GO: Pastora é acusada de escravizar criança indígena de 11 anos

Veículo: 
A notícia foi publicada nos principais jornais do País

O Ministério Público Federal em Goiás entrou com processo na Justiça contra uma pastora evangélica acusada de escravizar uma criança indígena em Goiânia. Em depoimento, acompanhado por agentes da Fundação Nacional do Índio (Funai), a menina de 11 anos revelou que era responsável por todas as tarefas domésticas na casa da pastora. Ela contou que só tinha permissão para se alimentar e fazer os deveres escolares após o cumprimento das atividades. Nos fins de semana, a menina ainda distribuía panfletos da igreja nas ruas. "A menina foi reduzida à condição análoga à escravidão. Essa é uma das piores formas de trabalho infantil, pois é algo invisível, dentro dos domicílios", avalia o procurador da República Daniel de Resende Salgado, responsável pelo caso. “Essas atividades, da forma como [a criança] foi obrigada a se submeter, privou a menor, no período, de sua infância, educação, desenvolvimento e dignidade”, completou.

Patrocínio
Petrobras
Publicações
Este guia integra uma série de publicações editadas pela ANDI – Comunicação e Direitos ao longo da última década, com o objetivo de contribuir para o aprimoramento da cobertura jornalística.