26 de Novembro de 2013
Faltam delegacias para atender a crianças vítimas de violência sexual

Veículo: 
Estado de Minas

As investigações de casos envolvendo sumiço, sequestro ou violência sexual contra crianças e adolescentes no País são prejudicadas pela falta de delegacias policiais especializadas. No estado do Rio de Janeiro, só existe uma Delegacia da Criança e do Adolescente Vítima (Dcav), situação que piora em outras regiões do País porque, em alguns estados, não há esse tipo delegacia. A denúncia é da deputada federal Liliam Sá (PROS/RJ), relatora da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Câmara que investiga denúncias de exploração sexual de crianças e adolescentes. Ela ouviu nesta segunda-feira (25) mães de meninas desaparecidas durante audiência pública na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro e também esteve no Tribunal de Justiça buscando informações sobre o julgamento de um homem acusado pelo desaparecimento de uma menina de 11 anos em 2008, em São Gonçalo (RJ). A CPI pretende acionar a Polícia Federal para auxiliar nas investigações de casos de desaparecimento de cerca de 20 meninas entre 7 e 13 anos no estado do Rio em circunstâncias semelhantes.

Patrocínio
Publicações
Este guia integra uma série de publicações editadas pela ANDI – Comunicação e Direitos ao longo da última década, com o objetivo de contribuir para o aprimoramento da cobertura jornalística.