26 de Outubro de 2017
Estudo mostra deficiências em leitura, escrita e no aprendizado da matemática

Veículo: 
www.ebc.com.br

Mais de 50 % dos brasileiros matriculados no 3º ano do ensino fundamental apresentaram resultados considerados insuficientes para leitura e matemática na ANA, que é a Avaliação Nacional da Alfabetização, divulgada nesta quarta-feira pelo INEP, o Instituto de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira e pelo Ministério da Educação.

Com uma avaliação um pouco melhor, mas ainda preocupante estão dos dados sobre a escrita. 34% dos estudantes avaliados também tiveram proficiência considerada insuficiente dentro desse critério.

A ANA que avalia a proficiência de leitura, escrita e matemática revelou uma estagnação da alfabetização de brasileiros entre 2014 e 2016. A presidenta do Inep Maria Inês Fini considerou sofrível o resultado da Avaliação.

As regiões norte e nordeste do país concentraram os piores índices de alfabetização. Uma média de 70% dos estudantes desta região apresentaram níveis de leitura insuficientes.

Em resposta as dificuldades identificadas pela avaliação e com o objetivo de combater a estagnação, o MEC anunciou a criação de um Política Nacional de Alfabetização que compreende um conjunto de iniciativas que envolverá a Base Nacional Comum Curricular , a formação de professores, o protagonismo das redes e o Programa Nacional do Livro Didático.

A Ministra substituta Maria Helena Guimarães, falou sobre os objetivos dessa política.

O Coordenador de projetos do movimento Todos Pela Educação, Caio Callegari diz que a o diagnóstico apresentado pela ANA é dramático. Para ele, a resposta que o MEC dá através do Plano Nacional de Alfabetização ainda é tímida diante do problema.

A ANA foi feita com estudantes de 48 mil escolas, aproximadamente 105 mil turmas e cerca de 2 milhões de estudantes e deverá te rnova edição no ano de 2019.

 

Patrocínio
Petrobras
Publicações
Publicação mapeia os principais riscos a que estão expostos crianças e adolescentes nas cidades-sede do Mundial 2014 e apresenta as iniciativas desenvolvidas pela sociedade brasileira para garantir os direitos fundamentais desses grupos etários.