28 de Julho de 2014
Em defesa das meninas

Veículo: 
Zero Hora

A Cúpula das Meninas, realizada esta semana em Londres pela Fundação das Nações Unidas pela Infância (Unicef) e pelo governo do Reino Unido, vai tentar mobilizar esforços internacionais para acabar com a mutilação genital feminina e com os casamentos na infância dentro de, no máximo, uma geração. O primeiro-ministro britânico David Cameron deve alertar pais de que eles serão processados se permitirem que suas filhas sejam cortadas. A mutilação genital feminina, realizada em 29 países na África e no Oriente Médio, envolve a remoção da parte externa da genitália das meninas. Algumas vítimas têm o clitóris cortado. A prática cultural, que visa a garantir a virgindade das meninas, pode levar a sangramento, infecção, infertilidade e morte. Meninas que casam antes dos 18 anos, por sua vez, têm menos chances de permanecer na escola, sofrem mais violência doméstica e morrem mais de complicações durante a gravidez e do parto.

Patrocínio
Publicações
Este guia integra uma série de publicações editadas pela ANDI – Comunicação e Direitos ao longo da última década, com o objetivo de contribuir para o aprimoramento da cobertura jornalística.