16 de Dezembro de 2013
DF: Fórum discute classificação indicativa e publicidade para crianças

Veículo: 
A Crítica Online

Pessoas usando drogas e repetidas cenas de sexo em um filme. Violência em seriados ou nas intermináveis fases de jogos eletrônicos, além da publicidade aparentemente inocente em programas infantis. Tudo isso pode influenciar o comportamento de crianças e adolescentes. Por isso, esses e outros assuntos foram debatidos na última quinta-feira (12) durante o Fórum Mundial de Direitos Humanos, que envolveu gestores da Secretaria Nacional de Defesa do Consumidor (Senacon), Secretaria Nacional de Justiça (SNJ) e especialistas sobre o assunto. O debate pretende contribuir com a definição de ações voltadas para a formação de crianças e adolescentes e na orientação dos pais, que têm função de escolher a melhor programação que deve ser assistida pelos seus filhos. Segundo Davi Ulisses Brasil, diretor-adjunto de classificações e títulos da SNJ/MJ, a classificação indicativa será analisada como instrumento de defesa de direitos humanos.

Patrocínio
Petrobras
Publicações
Este guia integra uma série de publicações editadas pela ANDI – Comunicação e Direitos ao longo da última década, com o objetivo de contribuir para o aprimoramento da cobertura jornalística.