09 de Abril de 2012
DF: Atendimento ao adolescente em conflito com a lei é precário

Veículo: 
Jornal de Brasília

Um ano e dois meses depois de anunciadas mudanças no sistema de atendimento ao adolescente em conflito com a lei no Distrito Federal pouca coisa saiu do papel. Das cinco novas unidades de internação prometidas pelo governo do DF, apenas uma foi licitada. Atualmente, o Centro de Atendimento Juvenil Especializado (Caje) é um dos principais espaços para internação. No local, 380 adolescentes convivem em um espaço destinado a apenas 160. A superlotação torna o ambiente impróprio para atividades rotineiras, como dormir, comer e estudar. “A superlotação e a estrutura precária são os pontos mais preocupantes”, reconhece a secretária do Sistema Socioeducativo, Ludmila de Ávila Pacheco. A unidade deveria ter sido fechada em março de 2011. O prazo foi prorrogado para outubro, mas ainda não foi cumprido.

Patrocínio
Publicações
Publicação mapeia os principais riscos a que estão expostos crianças e adolescentes nas cidades-sede do Mundial 2014 e apresenta as iniciativas desenvolvidas pela sociedade brasileira para garantir os direitos fundamentais desses grupos etários.