13 de Janeiro de 2012
Desemprego na América Latina e Caribe ainda é maior para jovens e mulheres

Veículo: 
Brasil Econômico

Diferenças entre homens e mulheres no acesso ao emprego ainda são tema de preocupação da Organização Internacional do Trabalho (OIT). O Panorama Laboral de 2011, que apresenta dados de países da América Latina e do Caribe, aponta que o número de mulheres desempregadas continua acima do índice dos homens. A média regional da taxa de desemprego do sexo feminino soma 8,3%, enquanto entre o público masculino esse indicador cai para 5,9%. O relatório também chama a atenção para a entrada dos jovens no mercado. O nível de desemprego na faixa dos 15 aos 24 anos foi de 14,9% na média regional contra 5% dos adultos. No entanto, segundo o coordenador de projetos da OIT, José Ribeiro, o dado não é exatamente ruim uma vez que o alto nível de desemprego dos jovens demonstra, por outro lado, uma pressão menor na busca do primeiro emprego, na maioria das vezes causada por uma retenção maior dos jovens na escola. "Os indicadores que demonstram a redução da pobreza, principalmente no Brasil, refletem um estímulo menor dos jovens em ingressar no mercado de trabalho para complementar renda familiar", explica Ribeiro. 

Patrocínio
Publicações
Este guia integra uma série de publicações editadas pela ANDI – Comunicação e Direitos ao longo da última década, com o objetivo de contribuir para o aprimoramento da cobertura jornalística.