27 de Abril de 2016
Curitiba lidera ranking da educação integral, apontam dados do Inep

Veículo: 
Paraná Portal

Entre as 26 capitais brasileiras e o DF, Curitiba é a que mais oferece ensino integral para crianças de até 5 anos. Segundo dados divulgados pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) e compilados pelas Secretaria Municipal de Educação, a cidade conta com 35.751 alunos na rede pública municipal, dos quais 30.733 passam o dia inteiro nas escolas.

Considerando apenas as creches (de O a 3 anos) o atendimento é de quase 100% em Curitiba, já que apenas a Nice Braga, no Santa Quitéria, não funciona em tempo integral. “É uma escolha que Curitiba fez: ampliar o número de vagas sem deixar de lado o atendimento de qualidade, sempre que possível em tempo integral”, diz o prefeito Gustavo Fruet (PDT).

De acordo com a secretaria, desde 2013 todas as novas creches que foram abertas funcionam o dia inteiro. Com a entrada em vigor neste ano da lei que determina a universalização da pré-escola (para crianças de 4 a 5 anos), o município aumentou o número de matrículas em escolas, e não Cmeis. Nessa faixa etária o índice do ensino integral cai para 59,6%.

“A exigência gerou um impacto para a rede toda e algumas crianças vão ficar em tempo parcial, mas o índice não deve cair”, diz o diretor do Departamento de Planejamento e Informações da secretaria, Leandro Jioneke.

Ele explica que com a infraestrutura disponível seria possível dobrar o número de alunos matriculados, dos atuais 30 mil em tempo integral para 60 mil em parcial. Não é essa, no entanto, a decisão da prefeitura.

“É uma questão de qualidade, estudos mostram que quanto mais tempo a criança fica na escola melhor o desenvolvimento”, explica. Além disso, as famílias cada vez mais pedem pelo atendimento integral, já que com isso podem deixar as crianças das 7h até as 18h nas creches. 

 

Patrocínio
Publicações
Publicação mapeia os principais riscos a que estão expostos crianças e adolescentes nas cidades-sede do Mundial 2014 e apresenta as iniciativas desenvolvidas pela sociedade brasileira para garantir os direitos fundamentais desses grupos etários.