14 de Janeiro de 2013
Via crucis para matricular aluno com deficiência em escola

Veículo: 
Diário de Pernambuco

Início de ano e a dor de cabeça para famílias que têm filhos com deficiência se repete. As justificativas para as recusas das escolas são as mesmas: carência de pessoal ou de estrutura adequada, custos extras ou falta de vagas. Todas inaceitáveis, conforme as leis de educação e inclusão. A própria rejeição, aliás, pode fazer com que os gestores dos estabelecimentos de ensino recebam multa, percam o cargo e até sejam presos. A legislação, porém, nem sempre dá segurança às famílias. A supervisora de vendas Gianni Campos, por exemplo, não quer recorrer à Justiça para que sua filha, Maria Gabrielle, 11, com Síndrome de Down, seja aceita em um colégio. "Desde novembro, seis escolas já recusaram a matrícula. Eu até poderia procurar o Judiciário, mas que mãe ficaria tranquila em ter o filho em um local onde ele está por obrigação?".

Orientação – O Ministério da Educação orienta os pais que tiverem seus direitos desrespeitados a buscarem as secretarias municipais ou estaduais e órgãos de defesa da criança e do adolescente, além de instituições que defendem direitos de pessoas com deficiência.

Patrocínio
Petrobras
Publicações
O guia procura orientar os profissionais de comunicação para uma cobertura qualificada e contextualizada do tema oferecendo referências às políticas públicas, esclarecendo conceitos e sugerindo fontes.