22 de Outubro de 2013
Crianças muito pobres estão mais expostas a situações de estresse

Veículo: 
Extra Online

Crianças que nasceram em famílias muito pobres ou vivem em orfanatos são mais expostas a situações de estresse e, por isso, teriam maior propensão a desenvolver problemas mentais, segundo duas pesquisas divulgadas nesta segunda-feira (21) pelas universidades de Denver e Cornell, nos Estados Unidos. Ambas, porém, fazem o mesmo alerta: o resultado de seus trabalhos não deve ser generalizado ou usado para criar qualquer tipo de preconceito. De acordo com a psicóloga Pilyoung Kim, autora principal do estudo sobre a pobreza na infância, viver em um ambiente miserável causa mudanças a longo prazo no desenvolvimento cerebral da criança. O estresse da pobreza afeta regiões do cérebro importantes para processar a emoção. Se sua atividade é anormal, o indivíduo será mais vulnerável a sintomas como depressão e ansiedade. A pesquisa foi realizada com 54 adultos de 24 anos. Metade deles cresceu em famílias de baixa renda. A outra era de classe média ou alta.

Patrocínio
Petrobras
Publicações
Publicação mapeia os principais riscos a que estão expostos crianças e adolescentes nas cidades-sede do Mundial 2014 e apresenta as iniciativas desenvolvidas pela sociedade brasileira para garantir os direitos fundamentais desses grupos etários.