04 de Janeiro de 2012
A cada 90 minutos um jovem com menos de 18 anos no DF entra em conflito com a Lei

Veículo: 
Correio Braziliense

Dados da Polícia Civil do Distrito Federal revelam que nos primeiros nove meses de 2010, foram 3.486 notificações em diversas modalidades, contra 4.133 registradas no mesmo período de 2011. O aumento é de 18,56%. A média é de 15 casos por dia, isto é, cerca de um ato infracional a cada uma hora e meia. Nesses casos, pelo menos um adolescente infrator acaba apreendido pela polícia. As cidades de Brasília, Ceilândia e Taguatinga concentram 43% dos homicídios, latrocínios, roubos, furtos e abusos cometidos por pessoas com menos de 18 anos no Distrito Federal. A delegada-chefe da Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA), Mônica Ferreira Loureiro, não sabe explicar se a situação acontece por falta de eficácia ou má aplicação da Lei. Para Perla Ribeiro, coordenadora do Centro de Defesa da Criança e do Adolescente, o problema se agrava por falta da aplicação integral das medidas socioeducativas previstas no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). A supervisora da seção de medidas socioeducativas da Vara da Infância e Juventude, Elda Araújo, acredita que o ECA não tem tido eficácia porque o Poder Público não o vê como prioridade.

Patrocínio
Petrobras
Publicações
Publicação mapeia os principais riscos a que estão expostos crianças e adolescentes nas cidades-sede do Mundial 2014 e apresenta as iniciativas desenvolvidas pela sociedade brasileira para garantir os direitos fundamentais desses grupos etários.