22 de Outubro de 2013
Amapá na rota internacional do tráfico e exploração sexual

Veículo: 
Diário do Amapá

O Amapá está no topo do ranking nacional do tráfico de pessoas para fins de exploração sexual nas regiões de fronteira do País. Os dados foram divulgados na última sexta-feira (18) pelo Ministério da Justiça e fazem parte da primeira pesquisa nacional sobre tráfico de pessoas nas áreas de fronteira. Na mesma condição estão os estados de Roraima, Pará e Mato Grosso. Segundo dados fornecidos pela Polícia Federal, um terço dos casos acontece nos 11 estados fronteiriços do País. O Amapá, por ser a principal porta de saída para a Europa, acaba se tornando uma das maiores rotas do tráfico internacional de pessoas. A pesquisa aponta que essas pessoas são recrutadas e convencidas de que existe uma vida melhor do outro lado da fronteira. No caso das crianças, elas são simplesmente levadas. Gastos com transporte, alimentação e alojamento se transformam em dívidas a serem pagas com exploração, violência e represálias em casos de tentativa de fuga. Ainda de acordo com a pesquisa, entre 2005 e 2011, foram instaurados 13 procedimentos e 115 indiciamentos por tráfico internacional de pessoas nos estados de fronteira.

Patrocínio
Petrobras
Publicações
O guia procura orientar os profissionais de comunicação para uma cobertura qualificada e contextualizada do tema oferecendo referências às políticas públicas, esclarecendo conceitos e sugerindo fontes.