28 de Junho de 2012
Adoção não pode ser rápida como uma compra, diz corregedora

Veículo: 
O Girassol

A corregedora nacional de Justiça, ministra Eliana Calmon, destacou ontem (27/6) que o Judiciário vive um processo de mudança cultural quando lida com os problemas da infância e da juventude. Ao participar do programa Encontro com Fátima Bernardes, da TV Globo, a ministra comentou o esforço da Justiça para uniformizar os procedimentos para adoção de crianças no Brasil. "Isso nunca foi problema da Justiça, era considerado problema social. Temos uma mudança de cultura dentro do Poder Judiciário de que isso é uma coisa da Justiça também". A ministra destacou a importância do Cadastro Nacional de Adoção, que reúne as informações das crianças que podem ser adotadas e dos pretendentes à adoção. No entanto, reconheceu dificuldades no preenchimento do cadastro e também na estrutura das Varas de Infância e Juventude.

Tags:

Patrocínio
Petrobras
Publicações
Este guia integra uma série de publicações editadas pela ANDI – Comunicação e Direitos ao longo da última década, com o objetivo de contribuir para o aprimoramento da cobertura jornalística.